quinta-feira, 2 de abril de 2009

Desde que você se foi

A cada suspiro,
uma lembrança sua.
A cada palavra sua que retorna
em meus pensamentos,
uma lágrima.
A cada sorriso seu que revivo
um aperto no peito.
Triste sensação.
Não foi uma simples perda.

Amor eterno.
“Até que a morte (n)os separe”.
Agora que se foi
Sinto-me como se estivesse morta.

Mariana Bizinotto – 30/03/2009

5 comentários:

Dinha disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Dinha disse...

Mazinha querida, este comentário vale para essa e todas as poesias anteriores. Eu queri escrever assimmmmm!! Nossa, seus textos estão cada vez mais bem construídos e profundos, adorei cada um deles!
Fora isso, tô com muita saudade!! Suas conversas fazem falta viu!!
Adoro vc!
Abraços da eterna amiga. Auranda Blumenschein.

02 Abril, 2009 20:25

Mariana Bizinotto disse...

Oh Dinha!
Saudades de ti também!
Que bom que consegue ver em meu trabalho uma evolução, fico muito feliz!
Agradeço pelo carinho e leitora frequente que é!
Bjoss

Kamikaze Kiwi disse...

Olá, respondendo ao teu e-mail, infelizmente uma visita rápida no seu blog!
Mas depois eu volto, estarei te acompanhando!

Meu parecer inicial é positivo!! Gostei, vi (rápidamente) algumas coisas muito interessantes!

Inté!

Mariana Bizinotto disse...

Oi
Que bom! fico feliz que tenha gostado. Seja bem-vinda! Volte sempre que quiser.
Bjo