quarta-feira, 6 de maio de 2009

Gavetas

Agora minhas gavetas
vivem do lado de fora.
Às vezes é bom ventilar as memórias...

Deixar que o vento leve os ácaros
e reviver passagens importantes.
Permitir que as mágoas se dissipem
e se libertar também
desses fantasmas que assombram
e aprisionam num passado sem fim,
agora limitado,
pelas expectativas que há de revivê-lo.

Algumas cartas e fotografias
se esconderam.
Temeram o ar puro
da cidade em evolução.
A verdade,
pétrea realidade,
dói,
mas mesmo assim, pulsa no íntimo de cada ser.

Esconder-se numa fuga de si mesmo.
Doce engano da vida que só se mata um pouco mais.
Se prender para não evaporar.
E quando se vê evaporou-se sem nem se prender,
sem nada se guardar,
sem viver.

Mariana Bizinotto - 06/05/2009

2 comentários:

Diário de Pedro disse...

eita!

MUUUITO BOM,
ótimas metáforas ^_^
gostei mesmo!
parabens!!!
^_^

Mariana Bizinotto disse...

Muito obrigada!!
Adorei a visita no blog.
Bjoss